Como fui mordido pelo mosquito do trail run?

Como fui mordido pelo mosquito do trail run?

Sempre fui fascinado pelo mundo outdoor e como fui criado no interior do Rio Grande do Sul, cresci correndo, subindo em árvores, pulando e brincando.

Em um natal ganhei de presente um jogo que em resumo era uma viagem ao redor do mundo e que passava pela Patagônia. Pronto nascia o sonho de me aventurar naquelas terras austrais. Mas durante meu tempo de estudo e formação esse sonho ficou esquecido, certamente guardado no meu subconsciente.

Já formado e na busca da especialização como militar, tive a oportunidade de me aprofundar no mundo das montanhas, comecei a escalar, a fazer travessias, trekking e conviver com o apaixonante ambiente das alturas.

Meu início no trail run

Sempre pratiquei esportes, sempre corri, do asfalto passei para a corrida de orientação (corrida com um mapa e uma bússola onde se deve seguir um percurso pré-determinado em meio à natureza) e da orientação, em 2012 migrei definitivamente para o trailrun.

Descobri que no Brasil existiam algumas provas de trail run. Na América do Sul diversas e no mundo, um infinito número de provas. Uma mais bacana que a outra. Ah, e na Patagônia existiam várias. Pronto, o sonho de conhecer inóspito lugar aflorou novamente.

Interessei-me por duas provas na verdade uma de 160km na Argentina e outra de 235km no Brasil.

Aí a ficha caiu. Opa! Calma aí! O máximo que eu já corri foram 15km.

O início do treinamento

Então iniciei minha preparação para realizar esses sonhos. Aliei ainda aos meus sonhos o objetivo de viajar e conhecer novos lugares. Em Agosto de 2012 realizei minha primeira prova trail, os 50km do XTerra Mangaratiba, na Costa Verde no RJ. Nesta prova aprendi minha primeira grande lição no trail run, paciência aliada ao preparo físico e psicológico são as chaves do negócio! Não basta ser forte em um ou em outro, o importante é ter equilíbrio nos três.

Na época não tinha treinador, corria por conta. Vinha de um tempo bom na maratona do RJ sub 3h10min, minha primeira e única maratona até hoje. Naquele dia achei que ia fazer algo parecido nos 50km de Mangaratiba. Ledo engano, foram 7h05min de puro sofrimento cãibras e dores musculares e o pós prova foi pior ainda. Pensei, “pois é, o buraco é mais embaixo”, ou seria mais em cima? Nesse tal de trail as subidas eram intermináveis, bem parecidas com as que tinha tomado contato nos trekkings e travessias em Serras como a de Petrópolis-Tersópolis, gostei! Creio ser nesses devaneios e devido ao estado de cansaço que me encontrava, que não percebi, mas já fora mordido pelo mosquito do trail run. Alerta! Não tem cura! Viagem sem volta! Felizmente!

Trail run Emerson e Edinho

A dedicação e evolução dos treinos

Foi então que comecei a treinar com orientação de um profissional e de lá até os dias atuais passei por todas as distâncias clássicas do trail run, são 24 provas em distâncias que vão dos 50km aos 235km, sem pular nenhuma distância. Foram 8 de 50km, 9 de 80km, 1 de 100km, 4 de 100milhas (aproximadamente 160km/170km), 1 de 225km e 1 de 235km. Foram 3 insucessos, sendo 1 corte e 1 abandono em provas de 80km e 1 abandono em uma de 100milhas. Dos 21 sucessos que tive consegui duas vitórias numa de 100milhas e noutra de 235km.

Nestas andanças tive a oportunidade correr provas e conhecer diversos lugares, culturas e belezas aqui no Brasil, na Argentina, Chile, Estados Unidos, França, Itália e Suíça. Ah, e o sonho se realizou! Minha primeira prova de 100 milhas foi na Patagônia! Junto com o Edinho Ramon em fevereiro de 2014 nos enfiamos em Villa La Angostura e na região do Lago Nahuel Huapi percorremos as trilhas, encostas e cumes daquelas maravilhosas montanhas. Essa também vale um relato, mas deixarei pra ele, ou quem sabe façamos juntos.

Depois de 2014 os sonhos só foram aumentando, sonhei em correr a mais famosa de todas os 170km do Ultra Trail du Mont Blanc na França, numa prova que circunda o maciço do Mont Blanc saindo de Chamonix na França, passando por Courmayer na Itália, Champex Lac na Suíça , retornando para o ponto de largada em Chamonix. Esse sonho realizei em 2016.

Trail run na floresta

A realização de um sonho

No início do relato falei de uma tal prova de 235km no Brasil, mais um sonho que em 2012 me fez querer desbravar o mundo trail. Então, sempre ouvi falar que sonhos são sonhos e que alguns deles se realizam, mas nem sempre como sonhamos. Realizei o sonho de correr os 235km da Ultramaratona dos Anjos Internacional (UAI) pelos históricos e religiosos estradões das Terras Altas da Mantiqueira, na região de Passa Quatro em Minas Gerais, corri lá esse ano no final de Junho. Pois é, e nem no mais perfeito dos sonhos as coisas seriam da forma que foram. Sonhei em correr e completar a prova, sonhei em me arriscar pelo percurso apenas com a minha mochila nas costas, sonhei em me aventurar em meio a deslumbrante natureza daqueles lugares de gente simples, hospitaleira e abençoada. Sonhei! Sonhei e o tal sonho se realizou, como eu nunca imaginei, venci a prova! Já tinha vencido uma de 100 milhas como relatei mais acima. Mas vencer a prova que me motivou entrar no mundo do trail! Vencer, “NEM NO MAIS PERFEITO DOS SONHOS SERIA ASSIM!” - foi essa a frase que disse quando cruzei a linha de chegada e me perguntaram como tinha sido a prova?

Descobri nesse tempo, que o mundo do trail tem espaço para todos, para todas as idades, para todas as distâncias, temos provas que vão dos 5km aos mais de 300km, no Brasil e fora dele. Descobri que não existe nada mais belo e salutar que o convívio com a natureza, que as amizades feitas nas trilhas são tão fortes quanto às feitas na infância, que cada vez mais necessitamos nos mexer, que a adrenalina faz bem ao corpo e à mente, que necessitamos de desafios para crescer, que também necessitamos ficar sozinhos durante horas e horas de esforço contínuo, que realmente nossa casa está lá fora, QUE NOSSA CASA É O MUNDO!

Vida longa aos das montanhas!

Seguir Emerson Corrales:

Especialista em operações militares em ambiente de montanha, é atleta amador de ultra trail desde de 2012. Seu maior destaque foi a vitória nos 235 km da UAI. Atualmente, compartilha seu amor pelo esporte no Projeto Raiz Trail Run, levando adiante seu lema: "Vida longa aos das montanha."

Últimos Posts de

Deixe uma resposta